11 julho 2010

Como saber se amo a Deus?


Debati-me com esta pergunta durante todo o fim de semana, e provavelmente ela redundará no meu sermão deste domingo. “Como posso saber se realmente amo a Deus?” Como saber se meu amor não é fingido, hipócrita, fruto da conveniência ou um subproduto da religião?

Será quando faço o que é certo? Sim, talvez uma grande virtude moral possa ser a prova do meu amor por Deus. Contudo, o que dizer daquelas pessoas que fazem as coisas certas por motivos errados? Daqueles que não roubam, matam ou infringem leis porque tem medo de ir parar na prisão? Nem sempre aqueles que fazem o que é certo, o fazem pelas motivações corretas, de onde concluímos que não é fazendo coisas que demonstro que amo a Deus.

Será quando eu guardo os mandamentos? Pode ser. Jesus mesmo disse: “Se me amais, guardareis meus mandamentos”, logo, aquele que guarda os mandamentos pode estar amando a Deus. Porém, não devemos ignorar o fato de que no passado havia criaturas muito religiosas que guardavam muitos mandamentos, mas definitivamente não amavam a Deus, como por exemplo, os fariseus. E o que me impede de crer que mesmo hoje haja estas criaturas, que se camuflam na religião e fazem tudo que é certo, mas somente porque querem ser reconhecidos pelos demais? Por isso, guardar os mandamentos também não pode ser tomado como a “prova dos noves”.

Pode ser que medindo meu amor pelo meu irmão, encontre a resposta. Porém, devo admitir que amar os irmãos não é suficiente, e que é preciso aprender também a amar e a suportar quem é diferente de mim, pois se eu apenas cumprimentos os meus companheiros de fé, serei no máximo um fariseu melhorado.

Talvez se eu ajudar os necessitados. Mas o que dizer dos espíritas, que fazem isso o tempo todo? Será que eles amam a Deus de verdade somente porque entregam cestas básicas e fazem a “campanha do agasalho”? Certamente há algo mais, uma prova distintiva e irrefutável possa encerrar essa questão definitivamente.

Como saber se eu realmente amo a Deus? Voltamos, então, ao início de tudo.

Penso, porém, que a resposta mais cabível é esta: “Quando eu odeio o pecado”. Definitivamente isso pode provar se eu amo ou não a Deus. E não estou falando de não praticar o pecado, mas de odiá-lo mesmo quando casualmente tropecemos nele. Não são de Paulo as palavras “o que eu faço, isso aborreço”, isto é, odeio? Paulo não apenas odiava o pecado nos outros, mas em si mesmo.

Quando eu odeio o pecado, é porque eu odeio desapontar a Deus. É porque eu odeio tudo aquilo que impede a minha plena comunhão com ele. Quando odeio o pecado, descubro minhas verdadeiras motivações, e posso examiná-las, se são sinceras ou não. Qual foi a última vez que você sentiu ódio depois de cometer pecado? Quando foi a última vez que você sentiu ódio por ter levantado a voz para a sua esposa, ou por ter mentido para alguém? Na verdade, são tantas ações odiosas que cometemos que alguns leitores serão levados, em última instancia, a aborrecer (odiar) a própria vida. Porém, não é isso o que o cristianismo é? Aborrecer a sua velha vida com tudo de ruim que ela representa?

Existe ainda a questão: Odiar tanto pode transformar-me em um cristão deprimido?”. Não, obviamente. Odiar o pecado não faz de você um cristão amargado, mas um cristão arrependido. O caso é que se você é realmente salvo, você necessariamente amará as coisas que Deus ama e odiará as coisas que Deus detesta, e entre elas o pecado. E odiar o pecado não te transforma em um cristão sem graça, mas em um crente cheio da Graça de Deus.

No caminho do cristão existem algumas curvas, lombardas e buracos na estrada, nos quais as vezes você pode cair. Sei que isso vai totalmente contra o espírito dos cristãos triunfalistas dessa “nova era”, verdadeiros super-heróis com invejáveis predicados, super-crentes que nunca pecam ou caem. No entanto, se você é um verdadeiro cristão, então você certamente irá cair algum dia, isso porque não somos perfeitos e as vezes perdemos a luta contra o pecado. A diferença é que nunca estamos satisfeitos com este resultado. O crente que cai em pecado não se acomoda nunca. Ele é como o boxeador que ao perder, não se conforma com o resultado pede revanche.

Este é o tipo de pessoa que Deus quer que sejamos. Esse é o tipo de pessoa que ama a Deus!


Caro leitor,


Você realmente odeia o pecado? Em que proporção? A sua resposta a esta pergunta revelará a ti mesmo o tamanho do seu amor por Deus, porque não existe uma terceira via. Ou você ama o pecado, ou você ama a Deus, porque quem ama o pecado odeia ao Senhor.

Neste ponto certamente alguém dirá: “Espere um momento: Eu não odeio a Deus; eu simplesmente amo pecar”. A estes, quero dizer que existe algo ainda pior do que o ódio: a indiferença. Seja frio ou quente, porque ser indiferente é ainda pior do que odiar.

22 comentários:

Anônimo disse...

Meu Irmão que palavra!

"E tratando-se de Deus, é melhor amar ou odiar. Seja frio ou quente, porque ser indiferente é ainda pior do que odiar."

precisamos de Homens que preguem isso de nossos pulbitos.

Daniel disse...

Muito bom o texto!!Muito legal textos como esse!Parabéns!
Me fez lembrar um video do gringo Paul Washer, que fala + ou - isso
http://www.youtube.com/watch?v=7RIEUVfwqkQ

Fiquem na PAZ do Senhor!!

MINISTÉRIO BATISTA BERÉIA disse...

Graça e paz Léo,
parabéns pela abordagem séria e centrada no que realmente é amar a Deus, que é a repulsa pelo pecado e procurar ter uma vida santa na presença do nosso Deus.
Que o Senhor continue lhe abençoando com palavras tão centradas e edificantes.
Fique na Paz!
Pr. Silas

Ricardo Mamedes disse...

Caro Leonardo,

Seu blog está muito bom. Confesso que eu já me indaguei muito sobre o assunto que você trata no texto: será que amo de fato a Deus? Sim, pois realmente posso estar me enganando... Como você bem sabe, o joio é aparentemente idêntico ao trigo.

Mas é isso mesmo: eu amo a Deus porque detesto o pecado. Quando peco - e o faço muito mais do que gostaria - imediatamente sou confrontado com esse mesmo pecado pela minha "consciência" a me acusar requerendo arrependimento.

Grande abraço! Já estou seguindo o seu novo blog.

Ricardo.

Hermes C. Fernandes disse...

Leonardo,

Parabéns pelo novo blog, e obrigado por nos brindar com um texto tão relevante e edificante.

Eu resumiria dizendo que amar a Deus é amar o que Ele ama e odiar o que Ele odeia.

Abração!

Clovis Cabalau disse...

A paz, pastor. Passei só para dar um alô e parabenizar pelo novo blog. Virei com mais calma em breve. Estou vivendo dias atribulados, mas vai passar. Deus continue te abençoando e dando graça sempre.

Clara disse...

Que o SENHOR te abençoe para que você leve sempre assim a palavra dele, sem se importar em agradar a si mesmo e a ninguém, somente a Deus!

Leonardo Gonçalves disse...

Daniel,

Que impactante este vídeo! Concordo plenamente com o Paul Washer quando ele diz: "Ou Deus é tudo na sua vida, ou então ele não é nada para você".

Se a nossa motivaçao nao é a glória de Deus, entao tudo que temos é palha.

Paz e bem.


Pr Silas,

Que prazer tê-lo aqui! Essa meditaçao foi o tema central da nossa Santa Ceia ontem. Foi muito confrontador para nós descobrirmos que amamos tao pouco.

Que Deus nos ajude.

Abraços.



Ricardo

Pelo comentário dos colegas, vejo que nao sou o único obstinado que vive perguntando ao próprio coraçao o que o motiva a fazer as coisas. Ou a glória de Deus é o centro do meu ministério, ou entao já nao tenho ministério.

Acho que o maior pecado dos ministros é justamente esse: fazer as coisas certas pelos motivos errados. Há "bons" homens de Deus padecendo este mal.

Que Deus nos defenda.

Paz!


Cabalau,

Volta sim, mano. Vem tomar um café por aqui... Vamos ver se consigo levar este blog adiante.

Continuo orando por aquele problema. Confie em Deus.

Paz e bem.

Jonatas disse...

Olá Leonardo. Bom blog e bom post, o seu.

Só para complementar, obedecer aos mandamentos do Senhor é prova dos nove sim. Se Jesus afirma isso, então será uma verdade eterna.
Ninguém pode obedecer os mandamentos de Deus se não for filho de Deus e já tiver a tábua de carne no coração.

Só pra lembrar que os fariseus não obedeciam os mandamentos, apenas aparentemente os guardavam. Os outros mandamentos são: amar o próximo como a si mesmo. E o novo mandamento que Jesus deu: amar ao irmão em Cristo mais do que a si mesmo! (amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei... e Jesus amou mais do que a si mesmo)

Leonardo Gonçalves disse...

Jonatas,

Discordo de você. Pessoas podem obedecer principios divinos sem conhecer a Deus. "Os gentios, sem lei, podem fazer coisas da lei, servindo de lei para si mesmos".

Existe ainda a possibilidade de obedecer (fazer o correto) pela motivaçao errada, como o cara que nao transa com a namorada com medo de ir para o inferno, e nao por amor a Deus e zelo pelo Templo do Espírito, que é o seu corpo.

Para simplificar tudo em uma sentença, o raciocínio seria assim:

"Todos que verdadeiramente amam a Deus, guardam seus mandamentos (foi o que Jesus disse), mas nem todos que guardam os mandamentos, o fazem por amor a Deus".

Grande abraço.


Clara,

Obrigado pelas palavras de incentivo. Ore sempre por mim, se lembrar.

Abraço para ti.

Jonatas disse...

Leonardo,

Com todo o respeito, amigo... O texto de Romanos que você citou não tem o significado "Pessoas podem obedecer principios divinos sem conhecer a Deus", mas sim "sem conhecer A LEI".
Romanos 13: Porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados. Quando, pois, os gentios que não têm lei, procedem, de natureza, de conformidade com a lei, etc e etc

Aliás, os gentios que Paulo se refere, foram aqueles a qual Deus foi revelado através da pregação, Paulo falando dos próprios romanos... que não tinham lei,as tinham o espírito santo!

Quem tá em Cristo, já não está sob a lei, porque Jesus já cumpriu a lei por ele. Então, esse tal cumpre a lei em Cristo, e cumpre os mandamentos na lei gravada no coração, ou seja, não pela ordem da letra, mas pelo espírito.

E se alguém pratica "boas obras" com a intenção errada, ela já deixou de ser "boa", mano, e já quebrou o primeiro mandamento. Vira apenas trapo de imundícia. As boas obras são feitas somente em Cristo.

Falo isso pra que aprendamos juntos. Sou edificado pelos seus textos. Não tenho intenção de causar confusão alimentando discussões carnais. Grande abraço

Leonardo Gonçalves disse...

Jonatas,

Você está chovendo no molhado. Você disse:

"E se alguém pratica "boas obras" com a intenção errada, ela já deixou de ser "boa", mano, e já quebrou o primeiro mandamento. Vira apenas trapo de imundícia. As boas obras são feitas somente em Cristo".

Bingo!

É exatamente disso que estou falando. Foi só isso que eu falei o tempo todo. Onde está o seu problema? =)

Como disse, choveu no molhado. =)

Grande abraço. Também nao quero discussoes carnais; quero conhecer a Cristo e serví-lo, porque tudo que vai além disso é palha.

Abraço,

Léo.

rodrigo disse...

Caro Leonardo, que a Paz esteja com você.

Acredito que se realmente CREMOS na CRUZ, no AMOR DELE por nós, fica impossivel para alguém que CRÊ não amr a DEUS.

Cacau disse...

Que blog lindo e que textos ricos

Parabens, que Deus continue te usando amado irmão!

Em Cristo Cláudia

ps: sigo o Púlpito Cristão

http://soutuanoiva.blogspot.com/

Iconoclastas do Evangelho disse...

Parabens pelo post...
Leonardo, essa abordagem do amor, a abordagem sincera sobre a cruz, sobre o evangelho tem feito falta a essa "nova era" do "evangelho"...
Palavras concisas, seletas e profundas...
Gostei muito...
Que o Eterno continue lhe abençoando grandemente...

Leonardo Gonçalves disse...

Hermes,

É isso. E é mais: Penso que este é o aferidor do nosso coraçao. é A "prova dos nove" para saber se realmente amo a Deus.


Rodrigo

É impossível crer sem amar, logo, se creio é porque amo. Mas aí vem novamente a pergunta: "Como saber se Creio em Jesus ou em mim mesmo?", e aí já é pano pra manga (e tema para um novo post, rs)



Cacau,

Obrigado pelas palavras de incentivo. Que Deus te abençoe também. Paz e bem!



Iconoclastas,

Agradeço também as suas palavras. Continue lutando por este evangelho verdadeiro e nada popular.

Grande abraço.

Deborah disse...

Não achei graça nenhuma. Deu até vontade de dormir depois que li isso.

Ron disse...

A graça de Deus é maravilhosa, mesmo. E mais, creio que servir a Deus está muito mais para uma prática de vida natural (como deveria ser), do que de uma simples decisão religiosa (como muitos pensam pelo mundo afora). E servir à Deus vem através do esclarecimento e da fé, claro. Mas enfim, é tudo uma questão existêncial - nascemos para seguir ao Deus que nos fez, à Jesus Cristo nosso salvador - seria ótimo se mais pessoas entendessem isso. E bom... acho que se decido seguir os ensinamentos e as instruções biblicas (que creio de coração ser a palavra Divina), por crer que são claramente instruções práticas e beneficas para minha vida e a da humanidade, é porque O amo sim (creio). Afinal, tenho ciência total de que as "sagradas leis" não são meros caprichos divinos, mas muito pelo contrário: ensinamentos e instruções maravilhosas de quem me ama e me conhece melhor do que qualquer outro.
Obs:. pessoalmente, as cartas de Paulo são os trechos que mais aprecio - por sua claridade, flexibilidade e urgência aos dias de hoje.

Anônimo disse...

Excelente texto!
Alias, seus textos sao como oasis, refrescam nosso dia-a-dia.

Luiza

Marli disse...

Muito bom Leonardo!! Amei seu txt
sempre me pegunto: “Como posso saber se realmente amo a Deus?” Como saber se meu amor não é fingido, hipócrita, fruto da conveniência ou um subproduto da religião?" Exatamente como vc escreveu...

Q Deus continue te abençoando muitissimoooooo

Anônimo disse...

Pregação abençoada.. Cadê o César???? Mariom.

aguia disse...

e é isso mesmo descobri q se nao amar a Deus.nao terei força alguma para vencer o pecado q tao de perto m arrodeia.se amo alguem nao quero viver longe dela.com a conciencia pelo espirito santo e a palavra de Deus. se eu nao lutar contra o pecado é porque nao amo a Deus.saberei se realmente amo a Deus. sendo crucificada.junto com o seu filho.amem graça e paz a todos

Postar um comentário

 

Copyright © 2010 Pastor Leonardo Gonçalves | Blogger Templates by Splashy Templates | Free PSD Design by Amuki